Três principais técnicas de coleta de dados – práticas pedagógicas

Estudo das Três principais técnicas de coleta de dados – práticas pedagógicas: Entrevista Questionário, formulário …

Compartilhar

I. Introdução

 O presente trabalho é da cadeira de Praticas Pedagógica Administrativa com o tema técnicas ou instrumentos de coleta de dados, tem por objetivo identificar os instrumentos/técnicas de coleta de dados, ou visa investigar uma informação de carácter científica na solução de um problema. 
Para a elaboração deste trabalho recorri a seguinte metodologia, a consulta bibliográfica que tem a sua referência no fim deste trabalho.
 

 Índice do O trabalho 

I. Introdução
II. Técnicas de coleta de dados
1. Entrevista na Pesquisa Cientifica
1.1. Formas de Entrevista
1. 1. 2. Tipos de Entrevista
1.3. Vantagens da entrevista
1.4. Limitações da entrevista
1.5. Quanto é que se recorre a entrevista?
2. Questionário
2.1. Vantagem do questionário
2.2. Desvantagens do questionário
3. Formulário
3.1. Vantagens do formulário
3.2. Desvantagens do formulário
III. Conclusão
IV. Bibliografia
 
O tema é de maior relevância porque permitira aos futuros especialistas de AGE a recorrerem na investigação de qualquer tema.

mozestuda
PUBLICIDADE

 

 II. Técnicas de coleta de dados 

Toda pesquisa, em especial a pesquisa descritiva, deve ser bem planejada se quiser oferecer resultados úteis.
O planejamento envolve a tarefa de coleta de dados, que corresponde a uma fase intermediária da pesquisa descritiva.


A coleta de dados ocorre após a escolha e a delimitação do assunto, a revisão bibliográfica, definição dos objetivos, a formulação do problema, e das hipóteses, o agrupamento de dados em categorias e a identificação das variáveis (essas duas ultimas tarefas são mais bem desenvolvidas com a assistência de um estatístico ou de um analista de sistemas).
Realizada a coleta de dados segue-se as tarefas da análise e discussão dos dados e depois a conclusão e o relatório do trabalho.


A coleta de dados, tarefa importante na pesquisa, envolve diversos passos, como a determinação da população a ser estudada, a elaboração do instrumento de coleta. Há diversas formas de coleta de dados, todas com suas vantagens e desvantagens.
Na decisão do uso de uma forma ou de outra o pesquisador levara em conta o que tem menos desvantagens, respeitando os objetivos da pesquisa.


Os instrumentos de coleta de dados, de largo uso são a entrevista, o questionário e o formulário.
Na aplicação da entrevista e do formulário e o informante conta com a presença do pesquisador ou seu auxiliar que registra as informações.
O questionário sem presença do investigador, é preenchido pela pessoa que fornece as informações. 


Além do instrumento usado, e o tipo de pergunta que pode ser fechada por número limitado de opções ou aberta sem restrições determina a maior ou menor exactidão dos dados e grandes dificuldades na tubulação e a analise das informações.
A preocupação básica ao elaborar as perguntas deve ser, além da validade e a relação das questões com o objectivo da pesquisa.
As perguntas devem sempre colher informações a respeito das variáveis e das hipóteses do trabalho. 

 


Trataremos em típicos distintos das técnicas de aplicação do formulário e do questionário mas podemos antecipar os diversos passos a serem observados na elaboração das perguntas:
⇋ Identificar os dados ou variáveis sobre os quais serão feitas as questões;
⇋ Elaborar uma ou mais perguntas referente a cada dado a ser levado;
⇋ Analisar as questões elaboradas quanto a clareza da relação, classificação e a sua real necessidade;
⇋ Elaborar instruções claras e precisas para o preenchimento de instrumentos;
⇋ Submeter as questões para as outras técnicas com vista a sanar as possíveis dificuldades.

 

PUBLICIDADE

1. Entrevista na Pesquisa Científica

 Segundo CERVO (2005) a entrevista é uma conversa orientada para um objetivo definido para recolher informações por meio interrogatório do informando.

A entrevista é um procedimento de recolha de informações que recorre particularmente a comunicação verbal, privilegia o contacto face a face, encontro frontal entre o pesquisador e o informado. 
Ela por sua vez permite a inteiração social, ou seja um diálogo assimétrico, em que uma das partes busca a coleta de informação.
 

1.1. Formas da Entrevista

 Quanto a estruturação da entrevista pode ser de diferentes formas, segundo o objetivo da entrevista:

1.1.1. Entrevista fechada

Verificasse quanto a entrevista obedece a um esquema regido, previamente fixada, que o entrevistador deve respeitar integralmente. 
Nesse caso as questões são geralmente fechadas, isto é, o entrevistado não tem possibilidades de desenvolver a resposta dada.
O entrevistador reduz subsequente, as respostas são do tipo (sim ou não). Exemplo: Queres passar se classe? Então prepara as lições.
 

1.1.2. Entrevista aberta

Neste tipo de entrevista as questões são colocadas de forma flexível, podendo orientar-se o processo de acordo com a sequência e as questões que julgar mais conveniente segundo a sensibilidade e as respostas anteriormente do entrevistado.
As questões são geralmente abertas, isto é, o entrevistado tem possibilidade de exprimir e justificar a sua opinião em resposta (dá maior liberdade e iniciativas ao entrevistado).
Exemplo: O que pensa na pessoa que quer passar de classe? 
Aqui o entrevistado pode responder justificando o seu posicionamento. Eu acho que a pessoa que queira passar de classe deve estudar muito; reunir todo o material possível, estudar em grupo e realizar todos os trabalhos marcados.
 

1.2. Tipos de entrevistas

 Quanto a tipologia de entrevistas, podemos ainda citar: entrevista intensiva, extensiva e repetitiva:

 

1.2.1Entrevista intensiva 

Aquela que é dirigida a um único individuo.

 1.2.2. Entrevista extensiva 

Aquela que abrange um conjunto relativamente alargado de população.

1.2.2. Entrevista repetitiva

Consiste em, depois de ter realizado a entrevista numa determinada amostra de população, repete a entrevista ao mesmo grupo avaliado desta forma das respostas.
 

1.3. Vantagens da entrevista

⇋ Pode obter informações que não tem fontes bibliográficas;
⇋ Obtêm informações com pessoas que viveram o facto;
⇋ Permite estabelecer um critério nas questões mais importantes a serem propostas;
⇋ Possibilita uma conversa frente-a-frente com o entrevistado.

 

1.4. Limitações da entrevista

Apesar da entrevista possibilitar a recolha de muitas informações não verbalizadas, em especial aquelas informações que só se rebelam na e pela relação nada garante que as respostas dadas pelo entrevistado são as mais objetivas, possíveis, vários fatores podem condicionar principalmente quando se coloca a necessidade de encontro frontal. 
Há necessidade em que mesmo que se garante o sigilo do informante, este não se sente “ à vontade ” para colaborar se limitação.

1.5. Quanto é que se recorre a entrevista?

Recorre-se a entrevista quando não houver fontes mais seguras para as informações desejadas; quando se quiser completar dados extraídos de outras fontes. 
 
A entrevista possibilita registar, além disso observações sobre a aparência, confortamento e as atitudes do entrevistado. 

Deve-se evitar recorrer a entrevista para obter dados de valores incertos ou para obter informações precisas cuja validade depende da pesquisa ou de observações controladas tais como: datas, relações numéricas.

PUBLICIDADE

2. Questionário

O questionário é a forma mais usada para coletar dados, ele possibilita medir com mais exatidão o que se deseja (Amado L. CERVO).

Segundo PARASURAMAN (1991) questionário é um conjunto de questões feitas para gerar os dados necessários para se atingir os objetivos do projeto.
Embora nem sempre os projetos de pesquisa utilizam essa forma de instrumento de coleta de dados. Ele é muito importante na pesquisa científica, especialmente nas ciências sociais.

 PARASURAMAN afirma que para construir um questionário não é uma tarefa fácil porque é necessário aplicar tempo e esforço adequados para a construção do mesmo.

A palavra questionário refere-se a um meio de obter respostas às questões por uma forma que o próprio informante preenche. 
Assim, qualquer pessoa que preencheu um pedido de trabalho teve a experiência de responder a um questionário. 
Ele contém um conjunto de questões logicamente relacionadas com um problema central.

2.1. Vantagem do questionário

⇋ O questionário pode ser enviado pelos correios, entregue aos elementos preparados e selecionados;
⇋ Pode ser aplicado simultaneamente um maior número de indivíduos (COODE, HATT, 1977:227);
⇋ O questionário deve ter natureza impessoal para segurar uniformidades na avaliação de uma situação para outra.
⇋ Economiza maior tempo.

2.2. Desvantagens do questionário

⇋  Não exige maior responsabilidade e experiência no seu preenchimento;
⇋ Pode ser despachado pela negligência dos indivíduos que o preenchem;
⇋ Não pode ser preenchido por pessoas iletrados.
 
PUBLICIDADE

3. Formulário

Segundo CERVO formulário é uma lista informal, catalogo ou inventario, destinado a colecta de dados resultantes quer de observações, quer de interrogações e o seu preenchimento é feito do investigador. 
As perguntas são complexas e a garantia de uniformidade na interpretação dos dados e dos critérios pelos quais são fornecidos. 
O formulário pode ser aplicado a grupo de diferentes níveis o que não ocorre com o questionário.
A maior parte das pessoas tem familiaridade com o formulário, pois órgãos públicos, empresas privadas e Bancos utilizam-no sistematicamente para cadastramente inicial dos seus clientes, e esse instrumento de colecta de dados passa a ser a principal fonte de alimentação de seus bancos de dados.

3.1. Vantagens do formulário

⇋ Evita-se erros no seu preenchimento;
⇋ Há garantia e uniformidade na interpretação dos dados;
⇋ Pode ser aplicada a grupos de diferentes níveis.

3.2. Desvantagens do formulário

⇋ Não dá oportunidade no manuseio do formulário a pessoas que dão informação;
⇋ As perguntas são muito complexas;
⇋ Não permite maior confiança nas pessoas que se sentem capazes de faze-lo;
⇋ Não economiza o tempo.  
 

III. Conclusão

Após a elaboração deste trabalho da cadeira de Praticas pedagógicas Administrativas, que tem como tema Técnicas ou instrumentos de coleta de dados, concluo que a coleta de dados constitui uma tarefa importante na pesquisa porque envolve diversos passos, como a determinação da população a ser estudada, a elaboração do instrumento de coleta. 
Há diversas formas de coleta de dados, todas com suas vantagens e desvantagens. 
E na decisão do uso de uma forma ou de outra o pesquisador levara em conta o que tem menos desvantagens, respeitando os objetivos da pesquisa. 

Siga a Página “Moz Estuda | Facebook, para não perder qualquer atualização. Bons Estudos!  

Encontre nesta página mais Livros/ e Exames do Sistema Nacional de Ensino, e muitas outras obras importantes para o seu processo de Ensino e/ Aprendizagem
PUBLICIDADE

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Sites MozEstuda

Please select a template!

© 2024 – MozEstuda. Todos os direitos reservados